poema


Decifra-me



















Não me pergunte se te amo 
Jamais te direi com palavras
 Meus sentimentos por ti
 Sou sinônimo de mistério 
 Não terás as respostas pelos meus lábios
 Tampouco te direi como obtê-las 
Terás que descobrir...
 Talvez através do brilho dos meus olhos 
quando olhas para mim 
Talvez pelo tom de minha voz
 quando te falo do meu amor Ou talvez,
 quem sabe, pela maneira que te toco,
 quando estamos a sós Descubra você mesmo, 
Mas não me perguntes
 Não te direi com palavras
 Saberás, se souberes procurar... 
Se realmente me amas como dizes, 
acharás as respostas... 
 Elas estão fragmentadas em mim 
Aos poucos, montarás um quebra cabeça
 E, se no final,
 souberes interpretar a charada, 
saberás o que sinto por ti
 Mas não demores muito tentando me entender. 
Não conseguirás, eu sei! 
Somente... decifra-me se puderes
 Enquanto isto,
 me ame, como jamais amou
 Abra seu coração para mim
 E deixa-me ser dono de teu amor 
 Se te sentires feliz, 
talvez descubras o quanto te amo.



Eduardo Baqueiro

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Desbravadores: Livro de Atas

conheça os tipos de açúcar

desbravadores